Um roteiro para aproveitar o sul de Ilhabela

01
novembro, 2016
Dicas
810
visualizações
Ampliar
14
Ampliar!
Imprimir!
Opções do post

Mergulhe num santuário ecológico. Refresque-se numa cachoeira. Aprecie a alta gastronomia. Tudo o que você precisa saber para curtir de carro esse cantinho sul de Ilhabela

Por Alessandra Stefani

É só procurar por Ilhabela na internet que um monte de número vai aparecendo. Mais de 40 praias, uma cachoeira pra cada dia do ano, 84% de Mata Atlântica. Com tantos atrativos, é natural que pinte a dúvida: o que priorizar durante uma visita à ilha? Para ajudar você nessa difícil e deliciosa tarefa, nós montamos dois roteiros: um para cada região. O itinerário para o norte você encontra aqui. Este post é para quem desembarcou da balsa e virou à direita, rumo ao sul de Ilhabela.

Vista geral de Ilhabela (Imagem: Flickr/Vitor Pose Martinez)

Vista geral de Ilhabela (Imagem: Flickr/Vitor Pose Martinez)

O que fazer no sul de Ilhabela?

Logo cedo, pegue o carro e pare no estacionamento público da primeira praia depois da balsa, a das Pedras Miúdas. O destaque aqui não é só a praia em si, mas o que está em frente a ela: a Ilha das Cabras, um santuário protegido por lei onde é proibido pescar. Resultado: muito peixe, tartaruga e arraia, um “aquário” natural ao alcance de algumas braçadas – a ilha fica a uns 100m da faixa de areia – ou de lanchas, que levam os turistas para fazer snorkeling. Também rolam cursos de mergulho e batismos ali.

Arraias na Ilha das Cabras (Imagem: Arquivo Pessoal/Alessandra Stefani)

Arraias na Ilha das Cabras (Imagem: Arquivo Pessoal/Alessandra Stefani)

Se bater a fome, é só fazer o pedido no Pescador Bar e Restaurante, em frente à praia. Dá para petiscar frutos do mar curtindo a bela vista da ilha e vendo o pessoal passear de caiaque e stand up paddle, equipamentos alugados ali mesmo.

Ilha das Cabras (imagem: Fernando Tomanik)

Ilha das Cabras (imagem: Fernando Tomanik)

Depois, a sugestão é fazer a segunda parada na Feiticeira, praia de tombo – é bom ficar esperto com as crianças – com mar calmo e cachoeiras. O acesso é por uma trilha ao lado da Fazenda São Mathias, que abrigava um engenho de cana-de-açúcar e ainda guarda um casarão em estilo colonial. Longe do agito e sem comércio, é a queridinha de quem busca sossego. Se ficou curioso pra saber o por quê do nome da praia, assista a esse vídeo aqui pra entender 🙂

Praia da Feiticeira (Imagem: Wikimedia Commons/Carlos Maciel 40)

Praia da Feiticeira (Imagem: Wikimedia Commons/Carlos Maciel 40)

Aproveite para conhecer a Cachoeira dos Três Tombos, que fica ali perto. Não é rato de academia? Relaxe, essa cachoeira é para você. É super fácil de chegar, dá pra parar o carro a poucos metros da primeira queda, uma ducha de uns 5m de altura com um poço difícil de resistir a um mergulho. Com um nome desse, não precisa ser expert para deduzir que tem ainda outras duas quedas. A segunda é pequena e escorregadia. E a terceira, a maior de todas, perfeita pra aquela ducha relaxante.

Terceira queda dagua da Cachoeira dos Tres Tombos (Imagem: Wikimedia Commons/Virto.Photo)

Terceira queda dagua da Cachoeira dos Três Tombos (Imagem: Wikimedia Commons/Virto.Photo)

Depois de gastar energia mergulhando em água doce e salgada, hora de repor o que foi perdido. A dica é almoçar na Praia Grande que tem grande não só no nome, mas também na quantidade de pontos comerciais. Se você é daquele tipo que curte sombra, água fresca e conforto, esse é o seu canto. Ducha, estacionamento público, píer, quiosques e restaurantes aos montes. O Restaurante Dona Malaguetta serve massa, carne, ave, peixe e frutos do mar com um sabor bem caseiro, num refúgio aconchegante.

Criancas fazendo a festa no Pier da Praia Grande (Imagem: Wikimedia Commnons/Roberto Pavezi Netto)

Criancas fazendo a festa no Pier da Praia Grande (Imagem: Wikimedia Commnons/Roberto Pavezi Netto)

Para fazer a digestão, siga até a Praia do Veloso, a última no sul com acesso de carro. Com pedras em volta e bastante árvore, é só esticar a canga e ficar curtindo a sombra ao som do mar. Uma paz que só. É uma boa pedida também para os aventureiros de plantão, que podem mergulhar nas águas claras e ver navios naufragados naquela área.

Se a sua praia não é mergulhar com cilindro, caia na água doce ali perto, na Cachoeira do Veloso, para muitos uma das mais lindas de Ilhabela. Cachoeira daquelas que fazem você entortar o pescoço pra conseguir ver, de tão alta que ela é. Um rio se bifurca e forma três quedas d’água. A primeira não é difícil de chegar. Caminhe uns 35 minutos até um poço e olhe pra cima para admirar a água escorrendo pelo paredão. Ver de perto as outras duas quedas exige mais esforço, com trilha bem íngreme e difícil.

Todo o caminho é um prato cheio pra quem curte birdwatching. Percurso do tipo dois em um: cachoeira + observação de aves.

Tiriba de testa vermelha (Imagem: Wikimedia Commons/Dario Sanches)

Tiriba de testa vermelha (Imagem: Wikimedia Commons/Dario Sanches)

Para fechar o dia em grande estilo, siga na estrada sentido sul até onde termina o asfalto e você vai chegar no Restaurante Nova Iorqui, que serve pratos caiçaras com um toque da cozinha mediterrânea. Ou então vá a um dos restaurantes do badalado DPNY Beach Hotel & Spa, na Praia do Curral. Alta gastronomia, carta de drinks sofisticados num cenário que parece de cinema. Aliás, falando em Curral, esse é o point da moçada que curte pegar praia com conforto e estrutura de quiosques – são vários, com cardápios diversificados e, no verão, tem até música ao vivo. Destaque para o tradicional Papagaio e o famoso Comandante Adriano (que até na Ana Maria Braga já foi cozinhar!).

Entardecer no DPNY Beach Hotel & Spa (Imagem: Divulgação)

Entardecer no DPNY Beach Hotel & Spa (Imagem: Divulgação)

A essa altura, já deve ter batido o cansaço. Então, nada melhor do que cair na cama e relaxar. E não precisa ir longe. O sul de Ilhabela está cheio de opções de hospedagem. O Hotel Ilhabela Beach Alemão tem um ambiente descontraído e é rodeado por um jardim com plantas da região. Prepare-se para “o” café da manhã: tipo o da casa da vovó, bem farto. A charmosa Villa da Prainha fica em frente à Praia do Julião e oferece aconchego em seus apartamentos e simpatia no atendimento, além de um quiosque com churrasqueira para uso dos hóspedes. Pra quem quer ainda mais tranquilidade, outra opção é o Flamboyant Chalés e Camping, localizado numa antiga fazenda da época colonial. Cachoeiras, trilhas e Mata Atlântica esperam os hóspedes.

Com todas essas atrações, motivos não vão faltar para você se perder pelo sul de Ilhabela.

Nenhum comentário até o momento.

Seja o primeiro a comentar.

aqui da pra colocar mais informações