Perdendo o medo do borrachudo

12
setembro, 2016
Dicas
6043
visualizações
Ampliar
14
Ampliar!
Imprimir!
Opções do post

O que é verdade e o que é mito sobre o borrachudo: esse serzinho que aterroriza os turistas. Veja nossas dicas e saiba como se proteger pra curtir o melhor de Ilhabela

Borrachudo em Ilhabela (Imagem: Wikimedia Commons/Fritz Geller-Grimm)

Borrachudo em Ilhabela (Imagem: Wikimedia Commons/Fritz Geller-Grimm)

Por Alessandra Stefani

Praias paradisíacas, cachoeiras cristalinas, mais de 80% de Mata Atlântica e… borrachudos. Esses mosquitinhos parecem existir pra lembrar a gente que Ilhabela chega quase à perfeição. Um beberrão de sangue que adora fazer com que os turistas levem daqui não só as marquinhas do bronze. O alvo preferido dele (ou melhor, dela: é a “borrachuda” que pica) é da nossa cintura pra baixo, principalmente pés e tornozelos. Ele pode até ser persistente, mas você não vai deixar que um ser de 4 milímetros acabe com as suas férias, né? É só ter um pouco de precaução pra mostrar pra esse atrevido quem leva a melhor.

Praia do Jabaquara em Ilhabela (Imagem:Flickr/Pedro de Carvalho Ponchio)

Praia do Jabaquara em Ilhabela (Imagem:Flickr/Pedro de Carvalho Ponchio)

Primeiro cuidado: o onde e o quando. Justiça seja feita: borrachudo não inferniza o ano todo e nem em todo lugar. No inverno, ele até dá uma trégua, pelo menos nos lugares mais urbanizados. Nas áreas selvagens, no começo da manhã e no final da tarde são os horários em que ele prefere dar o ar da (des)graça. Nas praias mais perto da “civilização” ele não é tão traiçoeiro. Mas é no verão, nas praias isoladas e principalmente nas cachoeiras que ele mais mostra a sua força.

Vela de Citronela (Imagem: Flickr/Jessica S.)

Vela de Citronela (Imagem: Flickr/Jessica S.)

Na operação Xô Borrachudo, cada um tem sua tática. Tem morador que espalha pela casa vasinhos de citronela. Outros, usam vela com o aroma da planta. Mas a maioria não abre mão do repelente, a arma mais eficaz na guerra contra o mosquito. Seja em spray, aerosol, gel ou creme, o negócio é lambuzar toda parte do corpo que está exposta. Tem gente que prefere a versão em creme por achar que com ele é mais difícil esquecer alguma área desprotegida. Outros garantem que os que mais funcionam são os oleosos à base da própria citronela.

Repelentes - (Imagem: Flickr/Mike Mozart)

Repelentes (Imagem: Flickr/Mike Mozart)

Os repelentes geralmente são feitos a base de dois princípios ativos: icaridina e DEET. Os dois funcionam, mas o primeiro promete durar mais na pele (e costuma custar mais caro também). Cada marca indica um tempo de duração do produto. Só que como a gente sua, entra na água e se molha, os médicos dizem que é bom dar uma reforçada na dose de 4 em 4 horas ou quando sair do mar.

Complexo B contra borrachudos (Imagem: Arquivo Pessoal/Alessandra Stefani)

Complexo B contra borrachudos. Funciona? (Imagem: Arquivo Pessoal/Alessandra Stefani)

Mas não vá montar um arsenal contra o borrachudo e esquecer de se proteger do sol, hein. O repelente é sempre o último a ser usado no corpo. Primeiro passe o filtro solar e só depois de uns 15 minutos capriche no repelente. E para os fãs de complexo B, um recado: consumir a vitamina poucos dias antes de vir para Ilhabela não funciona para repelir o mosquito. É mito.

Cachoeira do Gato em Ilhabela (Imagem: Flickr/bisonlux)

Cachoeira do Gato em Ilhabela (Imagem: Flickr/bisonlux)

Se serve de consolo, a população de borrachudos em Ilhabela já foi bem maior. Para o alívio das nossas panturrilhas, vem sendo feito um tratamento nas cachoeiras – o principal foco das larvas do inseto – e o exército dos sanguessugas está menor do que antes.

Água Limpa - Cachoeira em Ilhabela - (Imagem: Flickr/Vitor Pose Martinez)

Água Limpa – Cachoeira em Ilhabela – (Imagem: Flickr/Vitor Pose Martinez)

Aí você deve estar se perguntando: por que não exterminá-lo de uma vez? Na verdade, ele precisa existir para manter o ecossistema do local – sem ele, um monte de bicho que “almoça” o mosquito ia morrer de fome. Além disso, é preciso dar o braço a torcer: o vilão número um do turista também é mocinho. O borrachudo só se desenvolve em água limpa e corrente, o que Ilhabela tem de sobra. Isso quer dizer que, enquanto ele estiver por aqui, a água está boa.

Artesanato em Ilhabela - (Imagem: Flickr/Lucas Lima 91)

Artesanato em Ilhabela – (Imagem: Flickr/Lucas Lima 91)

Então, o jeito é invadir o território inimigo (ou seria, amigo?) e se armar. Tem quem volte da ilha sem nenhuma picada pra contar história. Gente que não se descuida do repelente e curte tudo o que Ilhabela tem de melhor. Pode ser que você baixe a guarda e perca uma ou outra batalha. Mas com bastante cuidado, dá pra vencer a guerra contra os borrachudos e só levar de lembrança daqui os souvernirs.

  • Vinicius

    disse:
    29 de novembro de 2016

    Quase tudo correto, mais quanto a reprodução em águas limpas já caiu por terra a algum tempo, eles gostam de águas poluídas também.

  • Talita

    disse:
    10 de dezembro de 2016

    Infelizmente, não voltarei mais para Ilhabela. Passei todo repelente possível é imaginável e saí toda mordida, com inchaços quentes e vermelhos. Tive que tomar antialérgico e acabei perdendo uma tarde inteira pois fui derrubada pelo mesmo. É uma pena, porque o lugar é lindo. Mas chega uma hora que seu único desejo é sair de lá. 🙁

    • Cristina

      disse:
      13 de dezembro de 2016

      Olá Talita! Sentimos muito por sua experiência ruim, realmente algumas pessoas são alérgicas, o que requer um cuidado especial. Mas isso não deixa Ilhabela menos bela, quem sabe numa próxima você consegue curtir mais (em algumas épocas tem menos borrachudos 😉 ). Melhoras!

  • Leonardo

    disse:
    19 de dezembro de 2016

    Não adianta comprar repelente famoso barato achando q é suficiente, recomendo os que tem princípio ativo icaridina acima 20% ou deet acima 40%, única marca top no Brasil é o exposis. Na falta off aerossol em quantidades generosas.

  • Mariane

    disse:
    8 de janeiro de 2017

    Eu tmbm tenho reação alérgica.. mas não consigo deixar de ir ate a ilha,sempre que tenho oportunidade dou uma passada lá. Pior do que os borrachudos é a fila da balsa, horário agendado e a melhor opção, sem falar que gestantes carros com crianças de até dois anos e idosos não precisa pegar fila.. Não esqueçam de levar muita loratadina e repelente.. Vale muito a pena.

  • Fabiana Fernandes

    disse:
    1 de fevereiro de 2017

    Olá. Vou visitar a ilha com uma criança de 4 anos e gostaria de saber qual são os meses do ano em que encontramos menos borrachudos. Obrigada!

    • Cristina

      disse:
      3 de fevereiro de 2017

      Olá Fabiana! Em geral, os borrachudos não gostam nem de muito calor nem de frio, então nos meses de inverno costuma ter menos e em dias muito quentes também. Porém, depende também do volume de chuvas. Além disso, a Prefeitura também faz o controle dos insetos com certa frequência, o que reduz a proliferação. De qualquer forma, sempre recomendamos que utilize repelentes como citado na matéria. Aí é só curtir o melhor de Ilhabela com seu filhote! Boa viagem! 🙂

  • Rodrigo Cafeh

    disse:
    16 de fevereiro de 2017

    Olá! Pretendo conhecer Ilha Bela agora na primeira semana de Abril/2017. Como vou com duas crianças pequenas, gostaria muito de saber se costuma ter muitos borrachudos nessa data. Obrigado.

    • Cristina

      disse:
      20 de fevereiro de 2017

      Olá Rodrigo! É difícil dizer, pois depende muito do clima que estiver nessa época. Em geral, quando chove bastante e depois sai sol, costuma ter mais borrachudos. De qualquer forma, vale seguir nossas dicas para proteger os pequenos dos borrachudos. Também vale consultar o pediatra deles, para saber se há algum outro cuidado a ser tomado. Depois, é só curtir com toda a família! Boa viagem!

  • Helena

    disse:
    17 de fevereiro de 2017

    Recomenda.levar um bebê de 2 meses?

    • Cristina

      disse:
      20 de fevereiro de 2017

      Olá Helena! Muitas pessoas viajam para Ilhabela com criança pequena (além das que já moram por aqui rs). De qualquer forma, vale seguir nossas dicas e consultar o pediatra dele, para saber se há algum outro cuidado a ser tomado. Depois, é só curtir com toda a família! Boa viagem!

  • Tuani Moia Martins

    disse:
    23 de fevereiro de 2017

    Tenho bebê de ,4mes gostaria de saber se dentro das residências t tem borrachudos ou só na praia…

    • Cristina

      disse:
      24 de fevereiro de 2017

      Olá Tuani! Como qualquer tipo de mosquito, se deixar a casa aberta eles irão entrar, são como pernilongos, mas menorzinhos. Com crianças é sempre recomendado um cuidado maior, como telas e repelentes 😉

  • Marcelo

    disse:
    19 de março de 2017

    Cristina, parabéns pela excelente matéria! Sua escrita é light e divertida, muito informativa ao mesmo tempo. Obrigado pela matéria ;)!

    • Cristina

      disse:
      20 de março de 2017

      Olá Marcelo! Muito obrigada pelo elogio… essa matéria na verdade é de nossa repórter Alessandra Stefani, transmitiremos seu elogio a ela! 😉

  • Edson Casado

    disse:
    20 de março de 2017

    Olá, gostei muito da matéria. Pretendo visitar a Ilha no início de abril e espero que esteja favorável para os humanos nessa época… Tenho duas crianças (9 e 2 anos). Sinceramente fiquei com um pouco de receio por conta dos borrachudo…

    • Cristina

      disse:
      20 de março de 2017

      Olá Edson! Não precisa se preocupar, basta ter alguns cuidados básicos e você e sua família estarão protegidos. Recentemente, a prefeitura tomou algumas medidas para controle do inseto, o que ajuda também. Boa viagem!

aqui da pra colocar mais informações