17
Dec
2018

10 dicas sobre protetor solar

22
novembro, 2018
Dicas
314
visualizações
Ampliar
14
Ampliar!
Imprimir!
Opções do post

O Verão vem aí, por isso separamos 10 dicas sobre protetor solar pra você acertar na proteção e curtir o melhor de Ilhabela.

Para que o produto cumpra bem a função, você deve levar em conta seu tipo de pele e a frequência com que se expõe ao sol. As dicas são da Proteste.

10 dicas sobre protetor solar - Dicas de Verão - Ilhabela.com.br

Para proteger a pele e o organismo das ações nocivas do sol, seja na praia, piscina ou dia a dia, o uso de um bom protetor solar é fundamental. Esses produtos exercem ação preventiva na formação de queimaduras, câncer, manchas e envelhecimento provocado pela exposição aos raios ultravioleta. Para que o protetor exerça adequadamente sua função, você deve considerar o seu tipo de pele e a frequência com que se expõe ao sol. Veja as dicas da Proteste, associação de consumidores, para acertar na sua compra.

1 Lembre-se de que o FPS está ligado à proteção contra os raios UVB (responsáveis pelas queimaduras do sol e câncer de pele). Porém, a proteção contra os raios UVA (responsáveis pelo envelhecimento da pele, manchas e contribuição ao câncer de pele) é um terço do FPS rotulado. Logo, quanto maior o FPS do produto, maior também a proteção contra os raios UVA.

2 De acordo com o Consenso Brasileiro de Fotoproteção, publicado em 2014 pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, é indicado o uso de protetor solar com FPS mínimo de 30.

3 Pessoas mais sensíveis ao sol, que tenham pele muito clara, com antecedentes pessoais ou familiares de câncer de pele, em tratamento contra fotodermatoses (doenças cutâneas que causam um aumento anormal da fotossensibilidade), em tratamento dermatológico (lasers para rejuvenescimento, peelings, tratamentos para cicatrizes de acne, etc.) e expostas a maior quantidade de radiação solar, seja por motivos profissionais ou lazer, devem optar por produtos com FPS mais alto, acima de 50, por exemplo.

10 dicas sobre protetor solar - Dicas de Verão - Ilhabela.com.br

4 Pessoas com pele negra podem até optar por produtos com FPS abaixo de 30 por se adaptarem melhor aos efeitos da radiação solar e por terem risco mais baixo de desenvolverem câncer de pele e foto envelhecimento. Porém, além de apresentarem maior tendência a desordens de pigmentação, pessoas com pele étnica podem, sim, desenvolver câncer de pele e, geralmente, têm diagnóstico tardio justamente por ter menos preocupação com a fotoproteção. Portanto, o uso de protetor solar é essencial em qualquer tipo de pele e o FPS 30 atende bem aos diferentes tipos.

5 É importante atentar-se para as informações do rótulo, pois existem produtos formulados especialmente para pele oleosa e outros para pele seca. Em geral produtos em gel, gel-creme, fluido e sérum têm textura mais leve e são mais adequados para peles mais oleosas. Já os cremes e loções são mais indicados para peles normais a secas.

6 Produtos com “toque seco” são ideais para quem tem pele oleosa ou não gosta daquela sensação de pele pegajosa e brilhante. Não é uma opção, porém, para quem gosta da sensação de hidratação ou tem a pele seca.

10 dicas sobre protetor solar - Dicas de Verão - Ilhabela.com.br

7 Produtos com cor são ideais para quem usa maquiagem diariamente. Não são capazes de cobrir totalmente as imperfeições, porém deixam a pele mais uniforme. O grande problema costuma ser as poucas opções de cores, que variam entre o bege claro e o bege médio.

8 Oil-free – Essa expressão não é sinônimo de “livre de óleo” e sim de que o produto é menos propenso a causar ou aumentar os cravos e a acne.

9 Não se apegue ao termo hipoalergênico. Muitos produtos, com e sem essa alegação, são formulados sem substâncias reconhecidamente alergênicas (principalmente fragrâncias). Logo, o termo hipoalergênico não traz para você nenhuma segurança adicional. Além disso, fique atento ao fato de que qualquer cosmético pode causar reações por menos componentes alergênicos que contenha. Para os protetores solares essa questão é ainda mais sensível, já que os filtros químicos, por exemplo, presentes em boa parte das formulações, já são irritantes para a pele, por si só.

10 Também não valorize em excesso a expressão “dermatologicamente testado”. Esse termo significa que o produto foi avaliado em humanos sob controle de médico dermatologista. No entanto, isso não traz benefícios adicionais aos produtos. Se ele está no mercado e cumpriu com todos os requisitos regulatórios para tal, significa automaticamente que ele é seguro para usar na pele.

Gostou das nossas dicas? Pra curtir o melhor do Verão em Ilhabela, clique aqui e veja outras Dicas de Verão!


 

Nenhum comentário até o momento.

Seja o primeiro a comentar.

aqui da pra colocar mais informações