20
Mar
2019
14
agosto, 2018
Colunistas
995
visualizações
Ampliar
14
Ampliar!
Imprimir!
Opções do post

Conheça o projeto de compostagem que está tentando mudar os hábitos de residências e empresas de Ilhabela, gerando menos lixo para o município

Por Mychelle Pavão*

Falar sobre gastronomia saudável não é apenas sobre comer. É sobre criar, educar, experimentar, conhecer os fornecedores, saber armazenar e, por fim, saber reciclar. Afinal, de que adianta um restaurante com pratos saudáveis em seu cardápio, mas que gera lixo em abundância? A saúde do planeta é nossa responsabilidade.

Hoje falaremos um pouco sobre o trabalho do Luiz Paulo, que trouxe para a ilha um projeto de compostagem para residências e empresas, buscando que os restaurantes da ilha produzam menos lixo e, ainda melhor, que o transformem em uma matéria rica para seu próprio benefício e para o bem do planeta.

Compostagem também é Saúde - Mycka Vegana - Ilhabela.com.br

O Luiz trabalha com compostagem termofílica (nesse tipo de compostagem, a decomposição da matéria orgânica ocorre pela ação de fungos e bactérias, em ambiente com a presença de oxigênio e úmido) dos resíduos orgânicos em pousadas, hostels, restaurantes, hotéis, residências, eventos gastronômicos, casamentos, órgãos públicos e escolas. Nesse processo, os resíduos são coletados, separados e encaminhados para o sistema de compostagem, onde serão transformados em adubos orgânicos e biofertilizantes.

Além desse trabalho, o projeto realiza palestras e workshops de educação ambiental, prezando pela sustentabilidade, e oferece, ainda, a opção de consultoria in loco e compostagem em seu próprio estabelecimento, ou de coleta dos resíduos e encaminhamento para composteiras próprias. Assim, posteriormente, o adubo retorna para o cliente.

Compostagem também é Saúde - Mycka Vegana - Ilhabela.com.br

Os preços variam com a escolha do serviço e tamanho da composteira. Existem opções residenciais com capacidade para 100 kg, 300 kg, 500 kg ou 1 tonelada de resíduos. Outra opção são as mini usinas, que variam de acordo com a produção de resíduos orgânicos do local.

O Luiz me explicou tudo de forma didática, e o amor que ele tem pelo o que faz brilha seus olhos, é lindo de ver!

Feche o ciclo você também, destine seu resíduo orgânico de maneira correta e produza seu próprio adubo, suas plantinhas, sua horta e a ilha irão agradecer!

Mychelle Pavão é diretora da cozinha @myckavegana e fundadora do núcleo da Sociedade Vegetariana Brasileira de Ilhabela. É também colunista do Ilhabela.com.br e traz suas dicas pros nossos leitores!

aqui da pra colocar mais informações